Brigada Ligeira Estelar – a Vanguarda Sideral

Compartilhar:


Aliados ou Inimigos? Conheça a Vanguarda Sideral — uma milícia com uma agenda muito particular para suas campanhas de Brigada Ligeira Estelar!

A Vanguarda Sideral é uma milícia bem peculiar. Não são exatamente inimigos do Império, mas o consideram uma falha de Silas Falconeri: ele acreditou que uma estrutura que beneficiasse a todos poderia domesticar a quem sempre saqueou o Sabre; na prática, essa gente se valeu de tal estrutura para infestar o judiciário e os meios de comunicação, se blindando contra qualquer punição.
A Vanguarda existe para defender o povo da Constelação daquilo que a lei não protege, por estar nas mãos dos que a abusam. Isso faz deles fora-da-lei, tendo que fugir até mesmo da Brigada Ligeira Estelar. Para que eles possam continuar existindo, saqueiam o dinheiro e recursos de seus inimigos, sendo uma guerrilha espacial que agrega rejeitados de todo tipo: perseguidos injustamente pela lei, nobres destitulados por tramóias sórdidas, vítimas do que há de pior da nobreza, evos revoltados, desertores de suas guardas… enfim, todos os seus membros têm uma história injusta por trás. E obviamente a nobreza os odeia.

Se escondendo no interior de asteroides formatados como base espacial (às quais eles chamam de “Células”), a Vanguarda tem uma postura clara de não pôr em risco as pessoas comuns pelas quais lutam: querem manter a simpatia popular, sendo orientados a ser gentis e colaborar com as comunidades por onde passam. Mas se algum dos seus membros encostar um dedo que seja nessas pessoas, podem ter certeza: a vida dele não valerá mais do que um rato morto…

É sabido que a Vanguarda Sideral e a milícia conhecida como TIAMAT são inimigos mortais — uma combate os abusos da nobreza que a lei não consegue deter, a outra — formada por membros alijados de posições de elite — quer transformar esses abusos em um padrão oficial para o Império. Isso leva a uma guerra por territórios, especialmente nas colônias espaciais. As forças oficiais têm que agir e combater ambos os lados. O líder da Vanguarda, Jaro Platov, é mais acessível para negociações, mas ele não vai recuar contra a TIAMAT — e isso é um problema.

A Vanguarda tem um símbolo — o corvo branco — e tem suas cores, mas não usa uniformes fixos. Olhando para seus membros, eles frequentemente parecem mais uma gangue do que uma milícia — e isso se reflete em seus veículos e construtos. Além disso, eles também costumam fazer incursões na área invadida da Constelação para turbinar seus robôs com tecnologia proscrita, para evitar lidar com atravessadores e contrabandistas.

Usualmente eles convertem naves comuns em belonaves e turbinam robôs convencionais para que se tornem robôs de combate, pintando-os de modo livre, mas apenas nas cores branco e vermelho — e com o brasão que os representa…

Em Campanha
Não é impossível pensar numa campanha tendo a Vanguarda Sideral como ponto de partida: eles miram nos abusos cometidos pela nobreza e evitam vítimas civis — são foras-da-lei “do bem”, em teoria, e os jogadores podem usar robôs personalizados. O problema é que toda milícia, por mais bem-intencionados que tenham sido os motivos de sua formação, pode se tornar uma ameaça para o próprio povo que diz proteger…

Outra possibilidade é que os protagonistas tenham que, em missão, enfrentar a Vanguarda Sideral. Apesar de tudo, eles são procurados. No entanto, as circunstâncias podem levar a alianças temporárias contra um inimigo maior e mais poderoso — uma das funções da Brigada Ligeira Estelar também é coibir abusos de nobres protegidos pela ordem regencial! Casos graves, como os personagens agindo irregularmente, podem levar a essa aliança também.

JARO PLATOV, O CORVO BRANCO
F1 H4 R3 A3 (esquiva) PdF3
Sobrevivência (ermos, espaço), Aliado Gigante, Código de Honra, Capitania, Má Fama, Protegido Indefeso (sua esposa). Técnicas de Luta (listadas a seguir)
Manobras de Esgrima: Bloqueio, Bloqueio Agressivo, Contra-Bloqueio, Estocada
Manobras de Tiro: Cobertura, Rajada de Tiros, Recarga, Saque Rápido
Manobras Aeroespaciais: Ataque em Rolamento, Defesa Armada, Espiral Defensiva, Immelman, Investida Rasante, Meia-Oito Invertido, Manobra Neutra Básica, Manobra Ofensiva Básica, Manobra Defensiva Básica, Quebra
Kits: Guerrilheiro Cossaco, Comandante e Miliciano
Poderes de Kit: Crítico Aprimorado, Força Bruta, Objetivo Ferrenho, Aura de Retidão, Manda quem Pode, Ordens de Combate, Golpe de Misericórdia.

Cossacos em geral são vistos como rústicos e distantes da política. Sabe-se que Jaro Platov teve a formação típica de um cossaco, sendo treinado como um guerreiro em uma sietch (uma comunidade de treino para o combate, aonde os jovens desse povo aprendem a guerrear e sobreviver) — mas tinha uma curiosidade intensa sobre o que havia lá fora. Assim, após a primeira dissensão, ele ofereceu seus serviços como batedor da guarda regencial de Arkadi, “sob o comando de um nobre imbecil”, em suas palavras. Sua relação de trabalho com os oficiais Arkadianos não foi particularmente feliz, acabando com uma garrafa quebrada na cabeça de um coronel, uma jovem donzela que posava de virtuosa acusando-o de coisas que ele não fez… e uma fuga desabalada. Ao retornar para seu antigo lar, descobriu que não era bem-vindo por ter trabalhado justamente com as tropas que entravam em conflito com os cossacos da região. Foi o primeiro momento em que se deu conta que não tinha mais lugar no mundo.

Sabe-se que embarcou em um cargueiro para as estrelas. Foi aí que começou sua educação para o que acontecia no resto da Constelação — e seu rastro foi perdido por oito anos, até que Platov reapareceu em seu mundo, impedindo que as tropas dos Homens do Lado — a mais sombria força repressora de Arkadi — detonassem uma aldeia inteira. Esse Jaro não era mais o mesmo. Se tornara culto, articulado e distante de tudo aquilo que se pensa sobre um Cossaco. Mesmo que tivessem agora braços abertos à ele — e não os tinham — aquele não era mais o seu lar.

Nos anos que precederam a Invasão Proscrita, ele foi construindo uma visão prática do que havia de errado em todos os lugares aonde viu. E chegou a conclusão que a raiz do problema era justamente a estrutura de nobreza: Silas Falconeri no seu entender havia cometido um erro, e decidiu se posicionar justamente contra os abusos dessa nobreza. Novamente, surgiram lapsos no que foram os anos seguintes, mas ele conseguiu aglomerar jovens em torno dessa visão.

Sabe-se pouco sobre o período de organização da Vanguarda Sideral, mas foi nessa época em que ele conheceu sua esposa, Erina Sadek, uma nobre menor de Ottokar, cuja família foi destitulada por acusações falsas de corrupção; ela foi resgatada de Homens Azuis ligados ao tráfico de mulheres, e em menos de um ano depois eles se casariam. Erina é sua companheira leal, o acompanhando em cada base aonde ele se instala. Ela não é mais a donzela indefesa que um dia foi. Como ela mesma diz, ambos são corvos brancos que escaparam a tudo e tiveram a rara sorte de se encontrar.

O corvo branco é uma analogia especial para ele — ao contrário do que se pode pensar, o nascimento de um corvo branco em meio a um ninho de corvos comuns não é um evento raro. É que a mãe pode matá-lo no ninho. Caso ele sobreviva, os demais corvos negros o atacarão aonde ele estiver. Ele nem reproduz, simplesmente porque caso uma fêmea negra o aviste, o atacará. O resultado é que o Corvo Branco vive eternamente à margem. E isso define não apenas ele, mas a todos que se juntarem à Vanguarda Sideral — odiada pelos inimigos do império, perseguidas pela suas autoridades. Mas agora esses corvos brancos conseguiram formar um bando. E resistirão a todos que os atacarem.

O CORVO BRANCO
F3 (corte), H0, R2, A3, PdF3 (energia); 20 PVs, 6 PHs
Mecha; Aceleração, Ataque Especial (Força), Pontos de Vida Extras e Voo; Bateria e Munição Limitada. Blindagem: H+4 para iniciativa e esquivas, cumulativo com Aceleração (para um bônus total de H+5).
O robô de combate cujo nome acabou virando seu apelido e por fim, o de seus homens. É um irregular bastante clássico, com uma espada de energia, duas pistolas de energia embutidas no seu pulso e baterias de mísseis nos ombros. O fato de Platov ser um cossaco fez com que muito da tecnologia rude do bogatir estivesse presente nele, fazendo do Corvo Branco um robô resistente e fácil de manter. Platov já luta com ele há mais de dez anos, e os resultados impressionam.