Como criar um Identidade para seu NPC

Compartilhar:
Fala galera uma matéria diferente para vocês, ia sair segunda mais não consegui.



Você se sente perdido na hora de interpretar seus NPCs? Está incomodado por achar todos parecidos? Esse post pode te ajudar.

UMA QUESTÃO DE IDENTIDADE

Não sabemos lidar com nossos NPCs, pois não desenvolvemos suas personalidades.
Assim, acabamos criando personagens genéricos e nada marcantes.

E não estou falando de como interpreta-lo, criar trejeitos, alterar o tom de voz, etc.
O objetivo aqui é desenvolver sua individualidade, seu caráter.

Isso facilitará sua vida como mestre. Acredite!

É bem mais fácil desenvolver a interpretação de um personagem que tenha uma identidade coesa.

Além disso, por conhecer bem o seu NPC, e saber como ele pensa, você improvisará com mais facilidade.

Mas não pense que é necessário escrever uma avaliação psicológica de cada habitante do seu mundo imaginário! Não. Basta seguir três passos…

PASSO #1 –DESCUBRA A MOTIVAÇÃO

O que o seu NPC quer? É muito importante saber o que o motiva, pois isso te orientará quando, ao interpretá-lo, você precisar tomar decisões.

Por exemplo…
A vila da Baróvia (Ravenloft) é um local assombrado devido à influência do vampiro Strahd.
O grande desejo dos camponeses que ali habitam, é que nenhum mal recaía sobre eles ou sobre suas famílias.

Portanto, o bem estar desses NPCs, e o de seus entes queridos, irá nortear todas as escolhas que fizerem.

Assim, é mais fácil tomar decisões com o personagem, quando você sabe o que é importante para ele.

Exemplos de motivação: Dinheiro, Poder, Sobrevivência, Vingança, Segurança, Conhecimento, Curiosidade, Amor.

PASSO #2 – ESCOLHA CARACTERÍSTICAS DOMINANTES

As características são basicamente qualidades e defeitos, e serão os alicerces de sua personalidade. Vamos voltar ao exemplo anterior.

Pense em dois camponeses da vila da Baróvia que tenham a mesma preocupação: a sua sobrevivência e a de sua família.

No entanto, enquanto um tem uma personalidade mais corajosa, o outro é assustado e inseguro.

Perceba que, embora ambos tenham o mesmo objetivo, a reação de cada um seria diferente, quando, por exemplo, estiverem em perigo.

Isso dará individualidade para os seus NPCs, tornando-os menos genéricos. Mas quantas características escolher?

Depende da relevância do personagem. Se for um NPC de pouca importância, uma característica dominante basta, caso contrário escolha duas ou três.

Lembre-se: quanto mais qualidades e defeitos um personagem tiver, mais complexo será.
Exemplos de características: corajoso/covarde; humilde /arrogante; calmo/agressivo; honesto/trapaceiro; tímido/inconveniente.

PASSO #3 – DESENVOLVA O MODO DE AGIR

Sabendo o que motiva seu NPC, e conhecendo sua personalidade, conseguimos estabelecer o seu comportamento.

E a mecânica é bem simples.

Basta que seu NPC aja de acordo com suas características, e seja movido por seus objetivos.

Assim, quando interpretamos um camponês corajoso que busca proteger sua família, é provável que ele confronte estranhos forasteiros que rondem a região onde vive.

Por outro lado, um camponês assustado se esconderia dos andarilhos, a fim de evitar qualquer perigo, e preservar sua integridade e a de seus familiares.

Exemplos de posturas:
Entrar em conflito: brigar ou ameaçar até que se consiga o que quer.
Negociar: chegar a um acordo com alguém para atingir um fim determinado.
Pesquisar: Estudar formas de resolver problemas através da observação e coleta de informações.
Fugir: distanciar-se do problema até cessar o risco.

Estas são apenas algumas possibilidades.
Existem inúmeras atitudes que o seu NPC pode tomar diante de várias situações.
Pense em dois ou três comportamentos, para sentir-se mais preparado na hora de interpretá-lo.

Quer saber por onde começar?
Escolha um NPC do seu cenário, e determine uma motivação, uma característica e um comportamento.
Comece devagar, e aos poucos você irá construindo o seu “Hall da Fama” com personagens memoráveis.

Me diga uma coisa.

Como você cria a identidade dos seus NPCs? Que orientações e regras você segue para desenvolvê-los?

Créditos: Blog Narrando RPG