Brigada Ligeira Estelar: Esquadrões-Robôs de Elite

Compartilhar:

Existem unidades de combate dedicadas a missões especiais. Geralmente os seus membros são oficiais com experiência – ou algum tipo de talento prodígio – prontos para aquelas situações difíceis que ninguém mais pode resolver.
O problema é que muitas vezes times inteiros podem morrer em missões como essas, e isso sempre deixa uma sombra…

Todas as guardas de grande porte, desde a própria Brigada Ligeira Estelar até as guardas de domínios de porte médio têm alguns Esquadrões-Robô do tipo espalhados ao longo do planeta. Há casos em que alguns senhores de domínio mais abastados preferem investir em uma equipe do tipo como sua guarda pessoal. Em geral, elas são pensadas em termos de grupo, logo tendem a ser customizados, fazendo com que um, fortalecido em algum aspecto, cubra as deficiências dos demais como time.

É normal que esses grupos tenham permissão de usar seus próprios padrões visuais nos robôs para demarcar a equipe (com limites; geralmente mantém as cores básicas da guarda, mas o modelo oferece nesse caso variações em seu uso), embora tenham a obrigação de carregar o brasão da guarda à qual servem. São treinados para trabalhar em grupo, e por isso, é comum que a chegada de um novo membro gere algum atrito: é complicado que um piloto talentoso e que se destaca por méritos individuais se disponha a se adequar aos demais. Isso eventualmente acaba acontecendo, mas até lá a falta de entrosamento pode custar caro.

Apesar desses robôs fatalmente acabarem mais do que ligeiramente diferentes entre si graças às modificações, a bem da verdade eles não são modelos diferentes (com exceção do obrigatório Karakuri). Há padrões de modificações que o adaptam a cada papel. O que se segue aqui é a lista mais básica dessas mudanças, tradicionalmente aplicadas aos Robôs Hussardos Imperiais ou aos Robôs Hussardos Regenciais de cada planeta. Ela não é realmente um padrão – esses robôs podem sofrer mais mudanças, mas não fogem dessa distribuição de papéis de combate. Mesmo que pareçam, eles nunca serão robôs comuns; são máquinas personalizadas para usos específicos.

1. O CAPITÃO: Usualmente um piloto experiente que lidera os grupos e comanda as missões (Capitania é obrigatória). É equilibrado entre ataques corpo-a-corpo e à distância. Modificações do Robô: +1 de F, +1 de PdF, Implementos e Ataques especiais, via PEs ou bônus de nivelamento.

2. O ATACANTE: é ele quem, com um sabre de energia, irá debulhar corpo-a-corpo seus inimigos. O mais veloz do time, sob alterações de blindagem (ver página 46 de Brigada Ligeira Estelar). Por estar mais livre, muitas vezes ele é o responsável pela execução final de uma missão que exija proximidade física. É quem mais corre riscos. Modificações do Robô: +2 de Bônus em Iniciativa e Esquivas, -1 de R, -1 de PdF, Ataque Múltiplo, 2x Ataques Especiais (recebendo a primeira e a segunda progressão, assim ele ganha +4 e no final fica +3; desses ataques, pelo menos um deve ser baseado em Força: Energia).

3. O ARTILHEIRO: o responsável pela artilharia pesada. Muitos consideram isso incongruente (Hussardos existem para o corpo-a-corpo), mas pensem o que representa um verdadeiro arsenal móvel de disparos em movimento contra os oponentes. Modificações do Robô: +2 de PdF, +1 de R, Ataques Especiais (PdF), Tiro Múltiplo ou Ataque Múltiplo, Armas Especiais (equivalem às Armas Mágicas do Manual 3D&T Alpha, páginas 119-120).

4. O ARMADOR: o papel usual do mentalista do time, circulando entre o grupo e dando auxílio de campo para que os demais exerçam sua função específica. Seu robô é um Karakuri (ver página 59 do livro Brigada Ligeira Estelar), sem modificações muito grandes. Modificações do Robô: Implementos e Ataques especiais, via PEs ou bônus de nivelamento.

5. O DEFENSOR: Aquele que fica atrás de todos, garantindo a defesa contra os ataques constantes. Sua função é de proteger o grupo na retaguarda.  Modificações do Robô: +2 de PdF, +1 de Resistência, Ataque Múltiplo, 2x Ataques Especiais (sendo pelo menos um baseado em PdF).

Nenhum comentário